Não sou muito fão de ctrl+c,ctrl+v mas achei estes dados interessantes. A matéria foi publicada no site www.universia.com.br

As mulheres com nível superior estão casando cada vez mais tarde. É o que revela uma pesquisa feita pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) realizada com 686.997 mulheres donas do diploma de Ensino Superior. Entre as mais jovens, o número é mais expressivo. Das garotas na faixa etária entre 20 e 29 anos, 60,93% delas são solteiras. Entre as que têm menos de três anos de estudo, a taxa cai para 21%. Para as da faixa etária entre 30 e 39 anos, o índice é de aproximadamente 25%. Para as de pouca escolaridade, o índice é de cerca 9%.

No Brasil, as mulheres com maior grau de instrução também estão optando por ter menos filhos, (apenas um) constatou a pesquisa. Segundo o demógrafo da escola nacional de ciências e estatísticas do IBGE, José Eustáquio Alves, o estudo revela que, quanto maior é o nível educacional da mulher, menor é a importância dada ao casamento e a filhos. Para ele, o que as mulheres solteiras estão mostrando é apenas um detalhe de uma tendência que ele chama de “bônus demográfico”.

Esse fenômeno é resultado da diminuição do número de crianças e do crescimento lento da população idosa. O “bônus” só vai ser produzido se, nas próximas duas décadas, houver um crescimento razoável, o que geraria mais renda e empregos. Já em 2030, a parcela de idosos vai aumentar rapidamente. O bônus significará também que os trabalhadores aposentados terão acumulado algum patrimônio a ser usado na velhice e, assim, se manterão consumidores ativos. Caso a chance seja perdida, o bônus inverte o sinal: além de demandarem mais recursos públicos, os idosos pouco contribuirão economicamente.

Anúncios