O egípcio Abdel Kareem Nabil, antigo estudante da Universidade Al-Azhar, usava seu blog para dirigir críticas aos muçulmanos conservadores. Entre seus artigos publicados estavam opiniões onde o jovem de 22 anos chamava centros religiosos de “universidades de terrorismo”, acusando-os de encorajar o extremismo.

Dados seus insultos ao islamismo e ao presidente do Egito, Hosni Mubarak, o jovem foi julgado e condenado a quatro anos de prisão, sendo três deles por insulto ao Islã e outro ano por criticar o presidente. O advogado do rapaz, Ahmed Seif, já avisou que apelará a decisão, que “aterrorizará outros blogueiros e terá um impacto negativo na liberdade de expressão no Egito”.

A sentença, que poderia ter chegado até 9 anos, revoltou outros blogueiros e defensores de direitos humanos. Wael Abbas, que constantemente escreve em seu blog a respeito de violações dos direitos humanos, se disse chocado e apontou que esta é uma mensagem terrível para qualquer um que pensa em expressar suas opiniões.

Nabil, que é conhecido no mundo virtual pelo nome de “Kareem Amer”, também foi expulso de sua faculdade, onde estudava direito, por suas críticas.

Para Alaa Abdel-Fattah, um escritor pró-reforma que foi preso por 6 semanas em 2006 após expressar suas opiniões em seu blog, a decisão do tribunal e a prisão de Nabil amedrontarão os outros escritores virtuais. “Nós (o povo egípcio) estamos sofrendo opressão, pobreza e tortura, então o mínimo que podemos fazer é insultar o presidente”, afirmou.

O Egito é um dos 13 países tidos como “inimigos da internet”, título dado pelos Repórteres Sem Fronteiras em 2006 para nações que coibiam a liberdade de expressão online. “Esta sentença é uma desgraça”, declarou a instituição lembrando que o presidente Mubarak havia prometido há 3 anos acabar com sentenças de prisão para este tipo de caso.

A prisão de autores de blog no país não é novidade. Em 2006, as autoridades egípcias prenderam um número de blogueiros que possuíam conexões com um movimento de reforma pró-democrático. Um comitê de proteção a jornalistas dos Estados Unidos informa que, desde dezembro de 2006, 49 jornalistas já foram presos no mundo todo por divulgarem suas opiniões em sites e blogs.

Anúncios