Ah, depois de um dia cheio nada como uma cerveja, gelada, muito gelada! Desço do onibus Jardim Atlantico chegando na parte continental de Florianópolis.Ligo para o Ronaldo me buscar, ainda vai demorar. Sugere que eu o espere no Boca’s (pra quem não sabe o Boca’s é uma lanchonet/bar/restaurante de Floripa).
Entro no Boca’s, procuro uma mesinha discreta e arejada. Ajeito as minhas coisas. Nada de garçom. Com sede por um gelada, faço sinal para um garçom. Risadinha. Como assim risadinha? sim uma risadinha do tipo “ow gatinha me paquerando”. Opa, não não, dizem que eu crio minhocas na cabeça. Nova tentativa, nova risadinha. E nada da minha cerveja caralho!
Assim começou a minha bizarra descoberta do quanto uma mulher sozinha em um bar, tomando uma cerveja pode ser algo transgressor…hauhaua. Sim isso mesmo que você leu, transgressor!Logo percebo que virei o tititi dos garçons. Um deles, mais velho, passa pela minha mesa e pergunta:
– Uma Skol?
– Bem gelada e 1/4 da porção de fritas!
– Blz!
Volta com a cerveja:
– Mais alguém com a senhora? (com aquela cara de quem espera um sim)
– Por enquanto não. (super cara de espanto tentando ser profissional)
Bebo a minha cerveja, como minhas fritas, dou uma analisada na lista de calculo II. E o babaca da mesa da frente começa a me paquerar. Sim, porque vc estah sozinha em um bar tomando uma cerveja o que mais vc quer né garota? Aff, retorno ao cálculo II! O babaca vai embora!
Fim da cerveja, deixo-a de lado e espero trazerem outra (como, já outra?). Junto com a cara de espanto do garçom, finalmente chega o Ronaldo.Ah…..agora ela é uma mulher no bar, tomando cerveja, acompanhada e …normal!

ps: escrevi esta estorinha porque foi uma das situações mais engraçadas que o machismo me proporcionou..heheh.

Anúncios