Aqui em casa você escuta isso na cozinha.Assim, no seu café da tarde, na maior naturalidade. Ouve também como é a performance do moça, da moça, quantos foram naquela semana. Aqui em casa você escuta de tudo. Aqui em casa é tudo muito natural.Mas não é a minha casa, é a CEU feminina, então, achando-me você muito puritana ou não, eu não acho natural.
Divido uma casa com outras 33 mulheres.Loira, alta, baixa, morena, do sul e do norte, do litoral e da serra.Quando comento isso com algum homem, ele logo imagina a casa da playboy, com várias coelhinhas. Não vou dizer que não é engraçada a cara de ilusão do idiota. Se um homem pudesse ser mulher por um dia aqui dentro, acho que ele jah não ia achar tanta mulher junto tão legal assim.Aqui, você pode entrar muda e sair calada, não tem jeito, sempre estará dividindo o pior da sua intimidade com os outros (e vice-versa).Porque enquanto uma aperta descarga, a outra sente o “ventinho” vindo do encanamento.Pode ser bem pior. Imagine você chegar louca por um banheiro e dar de cara com aquele capitão Nascimento não identificado na privada( tá com nojinho senhor 02??).Desesperada, segue para outra, onde quem te dá oi é a pizza que alguma fulana comeu ontem.É,contentar-se com o mínimo de privacidade é a única coisa que nos resta.
O engraçado, é que depois de um tempo, acho que as pessoas perdem a noção de privacidade (e de outras coisas…). Você divide um banheiro, mas não precisa dividir toda a história da sua pereba.Tá com coceira fía? Conte para o seu médico, para a sua mãe, para o seu cachorro. Mas sinceramente,não é porque eu divido uma casa com você que quero saber dos detalhes sórdidos.Parece-me que a falta de privacidade passa a ser algo tão banal que algum encaram a vida aqui dentro como um grande show. Chega a ser bizarro vc almoçar ouvindo um garota que vc só dá bom dia e boa tarde, contando como foi a noite de ontem com o fulano número 1, 2 ou 3.
Pego meu rango e vou para o meu quarto. Sinceramente, até o capitão Nascimento na privada é melhor do que ouvir as intimidades de gente estranha enquanto se come (opa!).Bem estranha, porque aqui é a CEU, e não a minha casa.

ps: desenho da cartunista argentina Maitena

Anúncios