…sem correr! Oh preguiça do cão hein! Acordei bem tarde hoje, aproveitando que não tinha aula e ainda estou desempregada. Tomei meu café e quando comecei a pensar em ir para a academia correr, veio a chuva. Mas uma senhora chuva, daquelas que só te fazem pensar em fritar bolinhos de chuva com banana. Não fritei bolinhos, mas fiquei o dia todo vadiando na internet, e arrumando desculpas esfarrapadas para não correr.
O clima de Curitiba é algo bizarro que até agora, quase um ano depois da mudança, não consegui me acostumar. Você acorda com um friozinho médio. No tempo de tomar banho e café da manhã, a temperatura já está uns 10 graus a mais. Você sai com um visual verão, mas leva um casaquinho porque né, é Curitiba. No fim da tarde você já está congelando de frio e pensando por que não pegou aquele casaco que a vovó te deu, breguinha mas quente. No meio destas mudanças todas, a disposição para correr vai embora. Não sei explicar com palavras, mas o frio de Curitiba é diferente demais do de
Floripa.Não é só a temperatura que é mais baixa, mas parece-me que é mais úmido, tem sempre uma garoa para te riscar a cara. Ainda não consegui me acostumar.
Além deste clima curitibano, vamos combinar que a preguiça, junto com a gula, é o pecado mais gostoso que existe…hehhe! Ah, como é bom ficar debaixo das cobertas, consciente do seu delito e, justamente por isso, muito mais gostoso. A soneca com gosto de pecado é muito mais gostosa, não é? Se não, os cinco minutinhos a mais não teriam graça nenhuma. O que dá gosto é o proibido, a contravenção a disciplina, por menor que seja.
Opa, minha cerveja terminou (meu pequeno pecado alcoólico). Vou dormir para amanhã, espera-se, acordar cedo e ir correr.
ps: este texto foi publicado no blog corrazocacorra no dia 24 de setembro.
Anúncios