A última vez que corri na rua foi quarta passada.  Fui correr com um pessoal (gente boa) do grupo dos corredores de rua de Curitiba.  Paguei o maior mico porque não aguentei o treino, mas de qualquer jeito foi bom.  Depois corri uns dias na esteira da academia, sei lá, ando muito cansada.  Não aguento mais a FAP (isso que estou no primeiro período) e por conta de umas que me aprontaram tive que caminhar um monte usando sapato, e agora estou com uma dor horrível nos pés. Sim, eu tenho os pés feios e problemáticos de ex-ginasta e bailarina, por isso tenho vários esquemas para comprar/usar sapatos. Salto alto só no inverno para ajudar a isolar o frio ou em alguma ocasião especial. No dia-a-dia (ainda tem hífen?) sapatilhas e, se for caminhar muito, tênis. Agora estou que não consigo nem por o pé no chão.

Sem contar que às vezes temos uns problemas e que nos tiram o ânimo. Hoje fui para a segunda fase de um processo seletivo para gerente de uma empresa. Morri na praia. E não vou mentir, fiquei chateada mesmo. A vaga era muito boa, a empresa também, mas não foi.  Tá Bia, mas o que tudo isso tem a ver com a corrida? Uma vez a Maíra, na época capitã do time feminino de rugby, ao ver a minha dificuldade em correr disse: “Bia corrida se ganha na cabeça. É a cabeça que deve vencer o corpo. ” Mas ultimamente   a minha cabeça anda tão cheia que a corrida está ficando em segundo plano. Veremos. Quem sabe se o tempo curitibano melhor.

PS: Perdi 2 Kg!

 

Anúncios